terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Sorte e asneira


Tanto o MDN de França como o do Reino Unido foram muito lacónicos nos comunicados sobre o acidente que envolveu os submarinos Vanguard e Le Tiomphant. Não admira, dado tratar-se de meios estratégicos nucleares, e a imprensa dos dois países não vai mais longe, especulando apenas sobre o silêncio dos submarinos, dificuldades de detecção e nada mais. Ora o que tem que ser perguntado é o que fazem dois submarinos em imersão na mesma área, ainda por cima em missões separadas. Esta é uma situação teoricamente impossível, excepto se fossem submarinos de ataque em situações especiais, como seja em operações de apoio. Não se tratando disso e sabendo que gestão do espaço marítimo é muito rigorosa, feita com antecedência e com conhecimento de todos os interessados, põem-se interrogações várias: O SUBOPAUTH sabia da existência de um submarino francês na área? Os francêses fazem patrulhas submarinas sem comunicarem à autoridade coordenadora? A França não fazer parte da estrutura militar da NATO terá algo a ver com isto?

Podemos ainda especular que a nova estrutura de comando da NATO eliminou comandos de área ou que a mania dos comandos conjuntos fez desaparecer competências que eram, no passado, do mais alto nível. Uma coisa me parece certa, é que a culpa não foi dos pobres dos submarinistas que desta vez se safaram de um triste fim. E, a propósito, o facto de os submarinos não se terem detectado um ao outro não é um defeito, pelo contrário, revela alta qualidade da tecnologia usada na construção naval para a eliminação de ruidos.

3 comentários:

O FdaPonte disse...

Quer dizer o Joint matou o Water Space Management. Os nossos generais decerto não entendiam o conceito.

O Fernão disse...

Desculpem lá mas essa da assinatura sonora ser 0 a curta distància é uma balela.Só se tivessem os dois tudo parado e calado e sem movimento e então não tinham abalroado com aquelas consequências.Vão por mim que foi o francês que fez granel. Não é por acaso que já afundaram dois e "tentaram" noutros dois!
Julgo que é em Julho que entram no dispositivo militar NATO, Temos que estar de olho neles!

O J.N.Barbosa disse...

Em pricípio a culpa é sempre dos francêses... Eles até se apressaram a dar a notícia de que o sub tinha embatido num contentor!
Quanto ao Water Space Management, não me admirava que hoje em dia fosse feito por um gajo infantaria, tão ao gosto dos nossos queridos chefes.