quarta-feira, 15 de outubro de 2008

O "nosso Hospital". É nosso? Para que serve e a quem serve?

Fui hoje mais uma vez ao "nosso" hospital para uma consulta. Já tinha feito uma tentativa de marcar uma em Maio passado porque os valores da picadela diária indicavam valores elevados de açúcar no sangue. Do lado de lá do telefone uma funcionária respondeu-me com uma "voz feliz" e soando a "trocista" (é capaz de ser má vontade minha!) que só para depois de 18 de Setembro. Na altura só poderia ter uma resposta possível … não vale a pena! Claro que tive de procurar uma solução fora da Marinha. Uns dias depois e porque vinha a ser seguido já há uns anos no "nosso" hospital acabei para marcar uma consulta para o dia 16 de Outubro às 1330.

E hoje, pontualmente, às 1330 lá estava eu. Uma pequena multidão de pessoas (a maior parte já com marcas visíveis da idade) aglomerava-se em pé à porta e pelo exíguo corredor. Alguns conseguiam estar sentados nas poucas cadeiras encostadas a um dos lados do corredor. Depois de confirmar que tinha uma consulta marcada para as 1330 a funcionária disse-me que a médica ainda não tinha chegado e que havia muita gente para a consulta pelo que não sabia dizer-me quando seria atendido. Resolvi assim ir até ao bar, até porque as ancas e os joelhos não me deixam já estar em pé por muito tempo. Estive por lá até às 1445. Quando voltei para a consulta estava a começar, o número de pessoas tinha aumentado, o corredor estava completamente cheio e a funcionária continuava a não saber quando seria atendido.

Claro, desisti da consulta e fui-me embora.

É este o nosso Hospital? Para que serve uma consulta que tem de ser marcada com pelo menos três meses de antecedência? Que hospital é este que trata os seus utentes sem a mínima consideração pela idade e as mazelas de muitos deles? Que hospital é este que marca uma consulta para uma série de pessoas para a mesma hora fazendo-as esperar tempos infindos amontoados como gado nos corredores ?

Felizmente, até há pouco tempo não fui um cliente frequente do hospital. Tirando o período a seguir à comissão nos fuzileiros na Guiné em que o corpo tardou a estabilizar e algumas vistorias de rotina poucas vezes tive de ir lá. Para além disso, nessa altura beneficiava de alguns privilégios pelo facto de estar no activo. Na reserva ou reforma já não contamos!!!

Mas a idade não perdoa e para quem, como a maior parte de nós, começa a sofrer as mazelas de uma vida sujeita a ambientes agressivos e a situações de stress que por vezes se prolongaram por muito tempo, as peças e engrenagens do nosso corpo começam a estar muito gastas e a necessitar de vigilância e assistência mais frequente. É a próstata que vai crescendo! São os rins que filtram mal! É o cólon e os seus pólipos! São os ossos e as articulações enferrujadas pela humidade e o vento! É o coração que bateu muito depressa e foi sujeito a esforços violentos e que começa a falhar! São os pulmões castigados pelas noites frias e húmidas e os dias quentes (para além do fumo, naturalmente!).

E como uma coisa nunca vem só, vamos enchendo a nossa agenda de consultas marcadas para as calendas e vemos o hospital cheio de "velhos marinheiros", que conhecemos cheios de força e vida, as vezes amparados pela mulher, que por lá vão arrastando a vida, dia após dia, manhãs e tardes inteiras, na esperança de "conseguirem" uma consulta.

Será para isto que descontamos ao longo de mais de 40 anos para uma coisa agora chamada IASFA? Olhei para a meu boletim de vencimentos e verifiquei que desconto 43.92€ por mês. Recentemente, uma filha foi fazer seis meses de intercâmbio universitário para o Brasil onde o cartão da ADM não serve para nada. Tive de lhe fazer um seguro de saúde. Pago por mês cerca de 48 € para o seguro Multicare VIP! Para que nos serve o IASFA e o Hospital de Marinha?

Há uns meses tive de recorrer a um hospital público. Esperei algum tempo sentado, e durante o dia em que por lá andei fui excepcionalmente bem tratado por toda a gente. No Hospital de Marinha sinto-me muitas vezes como se me estivessem a fazer um favor e não a usufruir de um direito para o qual pago.

Queria ressalvar disto os médicos e enfermeiros e alguns funcionários (as) do "nosso hospital". Quando entramos num gabinete de consulta somos por norma bem acolhidos. Mas o resto … A única coisa que serve para amenizar a espera é a possibilidade de encontrarmos e conversarmos com camaradas que não víamos há muito tempo.

Por último uma curiosidade. Sabiam que ao passarmos à reserva deixamos de ter dentes! O pessoal na reserva e reforma não tem consultas de estomatologia!!!

Penso que as Forças Armadas têm ter um serviço de saúde próprio, Mas para que a que serve o Hospital de Marinha para quem já não está no serviço activo? Não seríamos melhor servidos, depois de passarmos à reserva pelo SNS e por um bom seguro de saúde?

5 comentários:

O FdaPonte disse...

Tens o meu apoio a 300%.
Razão tinha o nosso querido "Joel" que quando se referia ao HM lhe chamava ..."essa morgue".
Estou á espera do teu comentário, Manel!

O Manel disse...

Eu não concordo com o "Selva"....

Querer desculpar os médicos????? que só olham para o relogio?

E os enfermeiros que olham para nós , reformados , como se fossemos do Lazareto?

O J Lourenço Gonçalves disse...

Infelizmente é uma triste verdade! No "nosso" Hospital somos pior tratados do que num hospital público. Razão pela qual recorro cada vez menos aos serviços H.M. e mais ao Hospital de Stº Maria. Já, agora, uma achega: Sabem que nalguns centros de saúde há uma coisa chamada "Unidades de Saúde Familiar" onde os doentes, sobretudo os idosos, são monitorizados periodicamente pelo seu médico de família? Esta monitorização é obrigatória e quando o doente não aparece é convocado porque os médicos dessas unidades são remunerados em função de objectivos quantitativos e qualitativosa atingir. É pena é estas unidades ainda só funcionarem em cerca de 200 centros de saúde!

O Manel disse...

Sim Senhor Lawrence. O meu é uma USF e já me convocaram para Março de 2009.

Até tenho vergonha de dizer que sou de Marinha , pois eles julgam que nós temos um Hospital tip+o clinica Mayo e que somos aí super acarinhados e atendidos como principes.

Estes sujeitos da USF têm para cada medico uma secretária e uma enfermeira exclusivas e dão (pelo menos dizem!!!) todos os cuidados precisos , incluindo os domiciliários.

Viva o HM

O J Lourenço Gonçalves disse...

Parabéns. Congratulo-me por isso! Uma enfermeira e uma secretária par cada médico é que acho que não. Pelo menos na minha USF não há. Pode ser, no entanto, que a tua seja melhor do que a minha...