quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Évora e o Clube Militar Naval


COMUNICADO DA DIREÇÃO (21Jan2015)

Tendo sido trazido ao nosso conhecimento a ocorrência de algo que classificamos de abusivo, desrespeitador e de profundo “mau-gosto”, materializado na colocação de um papel intitulado de Aviso no “Placard” junto à porta principal da sede, sem a devida autorização nem o conhecimento prévio de qualquer funcionário do Clube, a direção vem expressar o seu repúdio e profundo desagrado.
Neste papel era divulgada uma suposta iniciativa do Clube Militar Naval, denominada de “excursão/ romaria” a Évora, em data designada e a fim de visitar uma personalidade conhecida e que é também referenciada. Sendo tanto mais reprovável por usar, de forma completamente abusiva, o símbolo do Clube Militar Naval, e o nome do colaborador José Adriano, sem o seu conhecimento ou
autorização, utilizando a assinatura de um suposto “Director Cultural”, cargo inexistente na atual estrutura dirigente do CMN.
...
...

Assinado:
A DIREÇÃO
José Miguel Picoito

Nota do Curso OC: Para ler o comunicado, na íntegra, podem seguir esta ligação.

5 comentários:

O Jorge Goncalves disse...

Que brincadeira (se outro não foi o intento) de mau gosto!

O Fernão disse...

Boa antecipação, apesar do risco de divulgação. O nosso Presidente, como sempre,firme no leme.

O A.R.Costa disse...

Felicito o Presidente e toda a Direcção pela firmeza e sensatez com que actuaram na defesa da independência do CMN, que é um dos seus patrimónios imateriais mais valiosos.

O Nunes da Cruz disse...

Já tive ocasião, assim que recebi esta comunicação do CMN, de transmitir ao seu Presidente da Direcção o meu apoio à sua atitude perante este acto irresponsável e gratuito, que também é uma falta de respeito para com o Clube e seus associados.

O J. Teixeira de Aguilar disse...

As minhas felicitações ao Presidente da Direcção por saber defender a dignidade e independência do CMN. Não me merecem qualquer respeito, em contrapartida, brincadeiras feitas em nome de uma instituição que muito prezo. Pior ainda que o anonimato é a usurpação de identidade.