quinta-feira, 1 de setembro de 2011

O país assimétrico


Foi em entrevista ao "El País" que o nosso primeiro reconheceu que Portugal tem uma grande assimetria fiscal taxando os rendimentos do trabalho ao dobro dos rendimentos do capital. Reconhece também a assimetria na distribuição de receitas onde temos um dos índices mais altos de desigualdade expressando a necessidade de aplicar políticas que "permitam uma redistribuição de rendimentos mais equitativa". Há, quanto a mim, uma outra assimetria e bem chocante: é a notória diferença com que trata a classe média ( baixa, média e alta) premiando-a com impostos cada vez mais altos e a delicadeza/reverência com que se refere aos poderosos do capital e às grandes fortunas que passam incólumes pela actual crise.
Não é só o país ... parece-me bem que a crise também é assimétrica!

2 comentários:

O Gago disse...

Bem...parece-me que a assimetria vai desaparecendo.
Temos hoje mais pobres que antes...

O José Aguilar disse...

Ficará o pessoal muito ofendido se eu comentar que temos um primeiro de segunda?