quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O senhor ministro

O último acto de uma peça que se estava a desenrolar, paulatinamente e às claras, teve ontem lugar quando o ministro da Defesa declarou "o meu interlocutor não são os três ramos das Forças Armadas, é o CEMGFA", a propósito da oposição dos três Chefes ao modêlo de gestão do futuro hospital. E agora? Sai o ministro? Saem os três chefes? Sai o CEMGFA? Acaba-se com o aborto do hospital? Ou nada disto?
A pinta de ditador do ministro é conhecida. Moldou a organização à sua imagem.

1 comentário:

O Jorge Gonçalves disse...

O Ministro tem tido, quanto a isto, uma conduta manifestamente ilegal, tentando "implementar" o novo Hospital das Forcas Armadas, a base de despachos, com esvaziamento de facto, dos hospitais dos ramos, nomeadamente o da Marinha, sem atender a existencia de Decretos Leis, nomeadamente a LOMAR, que garante a existencia do Hospital da Marinha, ate a implementacao do Hospital das Forcas Armadas.
Um dos flagrantes desta atitude e a mudanca de denominacao do Hospital da Marinha, um nome que tem mais de 200 anos de existencia e, por que enquanto esta consagrado na LOMAR, para a prosaica denominacao (nos seus desoachos) de "unidade hospitalar de Sta. Clara"!
Chamo a atencao de todos os Oceanos para a convocatoria duma Assembleia Geral do CMN para o esclarecimento e discussao deste momentoso problema, no proximo dia 09 de Dezembro, pelas 21 horas!