domingo, 27 de setembro de 2009

A Patria e os Militares

Hoje, dia de eleições para a Assembleia da República, ocorreu-me discutir um tema que reputo de alguma maior importância para a Pátria (Nação, Estado, República, Monarquia, ou que quer que seja):
Reporto-me a um artigo, publicado no Expresso Economia, de 19 de Setembro passado, da autoria de J. L. Saldanha Sanches (autor de quem sempre aprecio os artigos), subordinado ao título “O (mau) capitalismo
Recomendo a sua leitura e não resisto a, com a devida vénia e arriscando-me a citar fora do contexto, a reproduzir o seu 7º parágrafo:
“O Bloco não é Chaves, felizmente, e há décadas que em Portugal ninguém acredita que os militares possam salvar a pátria ou servir para qualquer coisa”. Fim de citação.
É obvio que este “ninguém” está mais (suponho que nunca foi feita uma consulta à Pátria, que permita tal afirmação) devendo ser substituída pela palavra “eu” (ele).
No entanto, considero que o tema é de extrema importância, não para nós militares, mas para a Pátria e deveríamos (nós, os Portugueses e não nós, os militares) determo-nos a discuti-lo, por exemplo aproveitando o período eleitoral que hoje termina para ficarmos um pouco mais esclarecidos.
Como tal não foi, infelizmente, possível sugiro que o nós os militares passemos a dedicar mais tempo a discutir o tema com as nossas relações (e os nossos blogues constituem um espaço privilegiado para o fazer), e a tentarmos esclarecermo-nos e esclarecermos os que nos rodeiam.
Tenham uma boa semana de trabalho.
Um grande abraço

1 comentário:

O Jorge Gonçalves disse...

Esse senhor diz das maiores barbaridades, inclusive tecnicas, só pelo gozo de fazer sensação...
A mulher tem um bocadinho mais de senso do que ele mas não muito!