domingo, 3 de abril de 2011

Isto É Que Vai Uma Crise! O CULPADO!

Já o disse, e repito, que vale a pena ler o semanário "Expresso". Este sábado, para além dos artigos de Clara Ferreira Alves, na revista Única - "Os políticos nossos amigos" - de Miguel Sousa Tavares no caderno principal - "E A ORQUESTRA TOCA..." - de Luís Mira Amaral, no caderno economia - "AJUDA EXTERNA À PORTUGUESA" - gostaria de salientar o artigo de Luís Marques, também no caderno Economia, intitulado "Caça ao Culpado". E porquê? Tal como eu, que desde há longo tempo clamo que a culpa é de D. Afonso Hienriques, por ter batido na mãe (dele), também o autor afirma, embora de forma mais elegante e sofisticada, que, e cito: "... a culpa é de D. Afonso Henriques. Se ele não se tivesse revoltado contra a mãe, nada disto tinha acontecido". Fim de citação. É obvio que, se as gerações "à rasca", "rasca" e outras respeitassem os mais velhos, ou simplesmente os "velhos", nada disto e daquilo teria acontecido. Agora que sofram as consequências das faltas de respeito. Tenham um bom fim de fim de semana! Jorge Beirão Reis escreve de acordo com a antiga ortografia (mesmo com erros)

3 comentários:

O Jorge Gonçalves disse...

Estou plenamente de acordo contigo mas começo a suspeitar que és accionista da empresa que controla o "Expresso"! :-))

O Jorge Beirão Reis disse...

A única experiência accionista tive-a em 1971, quando gastei as minhas economias (20.000$00) comprando 2 (duas) acções de 1.000$00 cada uma do Banco Fernandes Magalhães, do Porto. Em 11 de Março de 1975, o banco foi nacionalizado e integrado no Banco Português do Atlântico, o qual abriu uma conta em meu nome, onde depositou 2.000$00.

Fiquei ilucidado e nunca mais comprei acções de empresa nenhuma. Também nunca mais tive dinheiro para isso.

Jorge Beirão Reis escreve de acordo com a antiga ortigrafia (mesmo com erros).

O Curso OC disse...

Recebido por correio eletrónico:
"Beirão Reis
Se o Mira Amaral que te referes é o mesmo da reforma vitalícia da CGD ( por meia dúzia de meses de trabaho ) , que agora é o presidente do Banco dos interesses de Angola em Portugal ( entre outros muitos cargos certamente que não remunerados ) , reconheço então que tem toda a autoridade para indicar quem são os culpados da crise . O Expresso , às vezes , prega - nos partidas , reparaste que a única vez que Pinto Balsemão foi ali ligeiramente criticado o autor do artigo foi despedido por se ter atrevido a atacar uma figura ímpar ( de acordo com a justificação apresentada pelo director )
Um abraço amigo do E. Gomes"