segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Bastos Jorge

A satisfação em retomar o contacto com um camarada nosso de quem a maior parte não tinha notícias há mais de três décadas, aliado ao auto declarado estado de pré aprendizagem da arte por parte do autor, faz-me transcrever a missiva recebida deste OCeano do outro lado do Atlântico:


"Meu Caro Nunes da Cruz
Uma série de afazeres, a ida do meu Filho Gustavo a Portugal e Espanha - retornando hoje - os preparativos para a primeira audiência do meu acidente ocorrido em 21OUT01 - quando uma jamanta, que trafegava na contra-mão, literalmente atropelou o meu carro -, não me permitiram dedicar o tempo que gostaria a atender o convite do Silva Nunes. Também, para ser sincero, não tenho experiência alguma como "Blogger" e nem com "Blogs", e, talvez por isso, venha a demorar, um pouco mais que o normal, a contribuir para o Blog do OC. De qualquer modo, e isso é o que eu quero enfatizar, não tenho como descrever a alegria e o conforto espiritual que senti quando li as inúmeras manifestações de apoio e solidariedade ao meu desagravo, desde as mais circunspectas, como as do Fuzeta da Ponte e Silva Nunes, até as mais chargistas como a do Teixeira de Aguilar. É muito confortante, especialmente para quem está longe, saber que não fomos esquecidos e que os despautérios que nos mazelam são passíveis de ser ricochetaedos à altura e de forma uníssona por tantos que conosco conviveram e tomam para si as dores como se suas fossem. A todos, sem excepção, mas muito em especial ao Bandeira Ennes e Beirão Reis, o meu muito obrigado por provas de camaradagem e solidariedade que eu tive ocasião de ver materializados num episódio tão espúrio quanto o do "affaire" do Cônsul Araújo. Seria ingratidão minha não incluir no meu muito obrigado os iniciadores de tudo o que está a correr no momento. São meus camaradas de Colégio Militar da mais alta estirpe e que em Terras de Vera Cruz - o nome do meu (novo) blog - dignificaram o nome de Portugal em todos os seus actos pautados pelo preparo académico, polidez social, retidão de carácter e tantos outros atributos de fastidiosa enumeração . São eles os Irmãos António e José Carrelhas, este último meu contemporâneo no Colégio Militar e do curso do Bandeira Ennes. Mais uma vez, a todos, sem excepção alguma, um forte abraço no coração de cada um.
Bastos Jorge
Novo Blogger

P.S. Peço-te, em nome da minha ignorância "bloguista", que faças, por favor, chegar esta mensagem a todos. . . a todos mesmo!"


Já há dias me tinha transmitido o seu regozijo em ter tido a oportunidade de retomar o contacto com os camaradas de curso. Transcrevo o princípio do que me escreveu:

"Meu Saudoso Camarada Nunes da Cruz
Hoje, o meu dia foi magnífico! Tudo o que me aconteceu foi bom e o término, se assim pode se chamar, foi de glória. Ao fim de tantos anos - mais de 30 - eis-me de novo em contacto com os meus Amigos e Camaradas de Curso. É indescritível a solidariedade que nos une e como o convívio naquela Escola marcam indelevelmente as nossas vidas independentemente do rumo que cada um de nós seguiu. ..."

Um grande abraço Bastos Jorge e aprende depressa a navegar na (e não com a) Água Aberta, para que tenhamos o prazer da tua colaboração.

Ninguém comentou esta onda