quarta-feira, 20 de maio de 2009

Apertando o cinto

Falando apenas de tempos mais recentes, verifica-se que andamos a "apertar o cinto" desde que, pelo menos, D. Barroso inaugurou o discurso da "tanga". Seguidamente, com o actual executivo, continuamos a apertar pois o (ainda) nosso primeiro não fazia ideia de que as finanças públicas, quando tomou posse, estivessem tão más (isto apesar de figuras políticas gradas, e do mesmo partido do senhor, o terem dito claramente). Quando as finanças pareciam estar equilibradas caiu-nos em cima a tal de crise global e ... toca a apertar um pouco mais. Pois agora, em plena crise, há comentadores e jornalistas altamente conceituados que já vão preparando o pessoal e dizem que depois da crise é que vai ser, que com as finanças outra vez de pantanas (défice de 8%?) não há outro remédio senão continuar a apertar o cinto.
É uma alegria, apertamos antes da crise, durante a crise e depois da crise ... quem nos acode? É que já vai sendo difícil respirar.

1 comentário:

O Pires Neves disse...

Olha Luís,

A propósito, deixo-te esta .. fresquinha. E, infelizmente, não é para te animar.Há mesmo quem vá mais longe no "pesadelo" e afirme convictamente (e não sendo o Medina Carreira é igualmente um homem sensato)que o que vem aí é mesmo bastante pior, talvez a pior crise (nossa, portuguesa)que alguma vez o País apanhou em toda a sua existência. Seremos nós capazes de a enfrentar e com "soberania" (a pouca que nos resta)ultrapassá-la? Dúvidas são mais do que muitas, pois o tempo escasseia e o "património" (que já é curto)vai escasseando e tendendo memso, segundo os entendidos, para o zero, mesmo o zero absolutamente absoluto. E o País, na sua maioria, ainda não percebeu que a crise (a estrangeira), essa, passará e depois, aqui ficaremos nós, com uma enorme crise (a nossa, de sempre)que já vem muito detrás e cuja solução vem sendo sistematicamente adiada ...; se é que ainda tem solução? Dúvidas parecem já existir! E líderes, outrosim, confiáveis ... será que existem? Outra questão em aberto. "On vera!"!

Um abraço

JPN