sexta-feira, 29 de maio de 2009

Notícias de Lagutrop

                           (Foto obtida em www.lighthousesrus.org/Europe/Portugal.htm)

Recebi nesta data do farol da Ponta do Altar (dele mesmo) uma piscadela com o seguinte teor:
Li no DN de hoje um artigo com este título:
"O secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Mário Mendes, admitiu ao DN recorrer às Forças Armadas para vigiar a costa portuguesa e garantir a segurança das fronteiras marítimas, devido às avarias no equipamento da GNR."
Eu não te disse que havia de me vingar de me terem posto ao lado esta enorme torre que me faz sentir um anão?
Não lhe respondi. Regra geral, não respondo a provocações. E também confesso que não me interessa nada ter a GNR às... costas.

4 comentários:

O Manel disse...

Fabuloso , como sempre.
Grande T

O Jorge Beirão Reis disse...

Estou a ficar muito farto desta gente.
Admito que um tal Mário Mendes diga as asneiras que quizer e entender. Admito também que a comunicação social as reproduza e amplifique a seu bel prazer. Se eu não gostar não vejo e não leio, não ouço e não falo (como os três macacos, cujas pequenas estatuetas adquiri, há alguns anos, em Moçambique).
No entanto, um Secretário-Geral do Sistema de Segurança Interna devia ter mais tento e mais reserva no que diz publicamente para não por em causa,com tais dizeres, a Segurança Interna pela qual, imaginava eu, seria responsável.

O meu amigo, Sargento-Mar-e-Guerra é que tem rasão: É uma manifestação da raça pestilenta!

Lamento, Conde, voltar a utilizar uma terminologia que eu sei que te desagrada.

Um abraço e bom fim de fim de semana

O M.Sá disse...

E eu que pensava que as Forças Armadas existiam para dirigir o trânsito tendo a Marinha como missão especial verificar se a temperatura da água do mar estava a jeito para os banhistas tomarem banho...!! Não me façam rir que estou com cieiro!!

O J.N.Barbosa disse...

O pessoal de cavalaria, que é quem gere estas coisas,sabe que quando leva o cavalo para uma missão tem que levar a ração. Ao assumirem que fazem a defesa marítima deviam ter pensado que os equipamentos sÃO como os cavalos,precisam de ser tratados. Julgaram que o cavalo não morria e que não precisava de veterinário. Lixaram-se(nos).