sexta-feira, 24 de julho de 2009

Ingénuo

É no Público de hoje que o senhor doutor Júdice afirma que ingenuamente aceitou presidir ao que viria a chamar-se Frente Tejo SA. Diz que para a Ribeira das Naus tinha previsto que esse espaço se transformasse numa área de lazer e, ao mesmo tempo, onde os registos da história da expansão fossem preservados e colocados em evidência. Um museu no lugar ocupado pela Marinha e pelo Tribunal da Relação, disse.
Ou a Marinha e o Tribunal são dispensáveis, ou se esqueceu de mencionar onde os instalava, com que dinheiro, com que projectos e quando. Presumo que a Marinha não ficasse perto do mar ou da margem do Tejo, porque essas zonas são para "devolver " às populações ou para encher de betão. Uma zona bem no interior seria mais adequada, já que a Marinha não tem nada a ver com a história do local, com o rio Tejo ou com a Rua do Arsenal... Para quem quer fazer um museu da Expansão, das Descobertas ou da Viagem não está mal...
Esquecia-me de mencionar que a Câmara Municipal de Lisboa concordou com isto. Este país é único!

2 comentários:

O Fernão disse...

Não tens razão. O actual Governo certamente conservará a Marinha junto da água. Ainda não há, julgo dois anos, o Ministro da Ciência, que de gago só tem o nome, se propôs retirar o IH das Trinas precisamente porque não estava junto da água. Atenta a coerência e a verdade a que nos habituaram, penso que não existe o perigo que te atemoriza!

O Jorge Gonçalves disse...

Ainda ontem ouvi o presidente da CML e actual candidato à renovação do mandato dizer, no debate com o candidato Santana Lopes, que o espaço onde está o EMA vai ficar aberto ao público...
Presumo que seja o antigo Arsenal de Marinha mas, concretamente, não sei. Alguém que tenha mais conhecimento do assunto que se pronuncie...