terça-feira, 11 de setembro de 2012

Mais cortes nas pensões


Mais cortes nas pensões a partir de 2013. É o que acabo de ouvir (durante a conferência de imprensa do Min. das Finanças). Não há dúvida ... continuamos no bom caminho!!!
Para estes senhores um trabalhador no ativo e um reformado, em termos fiscais, são a mesma coisa. Já ouvi grandes figuras políticas da área do CDS e PSD (por ex: Lobo Xavier e Paulo Rangel) defenderem esta tese, a qual vai justificar o próximo corte. Não me parece que seja correta esta ideia. Como comparar um ex-trabalhador, de 80 anos, que vive da sua pensão (para a qual descontou quase toda a vida), digamos de 1500 € e um jovem, trabalhador ativo, de 30 anos, com o mesmo rendimento? Pensem nas diferenças abismais que existem nas respetivas condições de vida, pensem nas perspetivas de futuro de cada um deles. 
Enfim ... o cinto continua a apertar. Até quando?

PS: E por falar em pensões, julgo interessante lerem este artigo que sublinha as diferenças entre "pensão de aposentação", "pensão de reforma" e " subvenções mensais vitalícias". 

4 comentários:

O J. Teixeira de Aguilar disse...

É isto: aos trabalhadores, reformados e pensionistas pode sempre ir-se ao bolso; aos que têm muito não, porque senão não investem, vão para fora ou refugiam o seu capital em paraísos fiscais, etc. São sempre os mesmos argumentos, às vezes proferidos apenas à boca pequena. Eu, por mim, devo estar nos antípodas destes últimos, já que descobri que vivo num inferno fiscal...

O Ferreira da Silva disse...

Ando há uns dias a pensar no que podemos fazer para serem eles a ir para fora. Afinal de quem é este país?

O Fernão disse...

Por vezes a compreensão do inevitável atenua a desesperança, recomendo a leitura da explicação que postaram em http://lanpadiario.blogspot.com/

O Montalvão disse...

Caríssimos Camaradas e Amigos
Quando passei à reforma fui penalizado com o desconto para a aposentação, por legislação saída uns escassos anos antes!!! Já nessa altura "pareceu" ser um abuzo!Os reformados descontarem para a reforma? Não há aqui "alguma" falta de respeito pela situação de quem trabalhou uma vida!
Pelos vistos não, pois continuamos a ser penalizados!!!
Um abraço
Jaime