sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Agora foi de vez

O Ministério da Defesa Nacional revogou o contrato com os estaleiros de Viana do Castelo para a construção de 6 patrulhas oceânicos e 5 lanchas de fiscalização costeira, no valor cerca de 400 milhões de euros. O contrato, de 2004, não conseguiu produzir mais do que um navio e meio; uma demonstração cabal de grande competência técnica e administrativa da indústria nacional. Diz o MDN que foi para salvaguardar o interesse do Estado, agora que está em curso o processo de alienação do estaleiro. Uma coisa é certa: Portugal fica agora sem qualquer projecto ou compromisso de aquisição de navios de qualquer espécie, para conforto do ministro das finanças e grande desconforto dos portugueses.
O nosso destino é o mar?

4 comentários:

O Luís Silva Nunes disse...

É mais um "prego" no caixão da Marinha que fica "um bocadinho" (ou "um bocadão"?) mais perto do fim!!!

O Jorge Goncalves disse...

É o nosso destino inelutavel!!!

O Jorge Beirão Reis disse...

Aqui deixo uma "pequena" correcção:

O "navio e meio" de que fala o João Nuno resulta de um contrato de dois navios celebrado em 2002, tendo sido entregue, apenas o Navio de Patrulha Oceânica "Viana do Castelo". A construção do 2º navio, tanto quanto sei, encontra-se parada devido a problemas com o sistema de comando da plataforma, da responsabilidade da Edisoft e de uma empresa inglesa, resultante de falta de pagamentos.

Posteriormente, foi assinado um contrato (ainda não rescindido, que eu saiba) para a construção de dois Navios de Combate à Poluição, tendo por base a platafotma dos Navios de Patrulha Oceânica. Suponho que a construção destes navios ainda não foi iniciada.

Finalmente, foram assinados, por vários Ministros da Defesa Nacional (suponho que três), vários contratos para a construção destes navios, os quais, de acordo com a notícia do Píblico de 6ª feira, dia 14, terão sido cancelados na sequência de uma Resolução do Conselho de Ministros, ainda não publicada em Diário da República.

É tudo o que tenho a dizer sobre o assunto.

Jorge Beirão Reis continua a escrever de acordo com a antiga ortografia (como já referido pelo Allen)

O Manel disse...


Com este ministro, o hifen, consegue-se com 1 machadada arrasar 2 coelhos. Lixa a Marinha e os Estaleiros.

É o estilo próprio...para além sde estacionar em cima dos passeios...e não ser multado