sexta-feira, 18 de abril de 2008

Defesa Europeia


Segundo o Público , o ministro L. Amado disse ontem que Portugal tem que decidir rapidamente se quer ficar no pelotão da frente da defesa europeia, por força do novo tratado. Acrescentou: "Um Estado como Portugal não pode deixar de se empenhar fortemente" neste objectivo, que exigirá esforço em matéria de investimento de defesa e esforço na compreensão de uma nova cultura de partilha. Se isto é a sério representa uma cambalhota muito grande em relação à atitude política destes governos, quer no plano interno, quer no plano externo! Valerá a pena esperar para ver ou já sabemos o resultado?

Hoje, também o general Loureiro dos Santos propõe que o governo, em vez de remendar o R.D.M., o expurgue das inconstitucionalidades que contém e que, já agora, cumpra as leis que governos anteriores deixaram de cumprir.

Ninguém comentou esta onda