quarta-feira, 30 de julho de 2008

Diálogos de Kafka. Hospital de Marinha

Eis-me em casa após o almoço e o telefone toca.
- Aqui Hospital de Marinha. O Sr Fernando Ponte está?
Camaradas, não me saltou a tampa porque, via os posts do Manel, já nada me surpreende vindo daqueles lados.
Respondi perguntando: É do Hospital de Marinha?
A menina, em tom decidido de profissional competente responde: Sim senhor, é do Hospital de Marinha.
Então humildemente perguntei: Se é do Hospital de Marinha porque não me trata por Comandante, que é o meu posto.
A menina calou uns instantes e depois deu ao Sr Comandante a informação que tinha a dar.
Cito Cícero: Até quando Catilina abusas tu da nossa paciência?

5 comentários:

O J Lourenço Gonçalves disse...

Parece que está na moda. Até o pessoal militar por vezes se esquece de que temos direito a ser tratados pela patente que temos. Talvez não fosse má ideia uma exposição colectiva ao director do Hospital, eventualmente via Net...

O Nunes da Cruz disse...

Também me sucedeu o mesmo há muito pouco tempo, em determinada consulta, ao ser chamado só pelo nome para a mesma. E ainda não foi mau de todo porque não se ficou pelo sr. José, como é moda nos telefonemas publicitários que nos fazem para casa.
À entrada, chamei-lhe a atenção para o facto. Muito encavacada, pediu-me desculpa, justificando-se que não tinha visto o posto na guia que eu levava.
Também há médicos (1ºs Ten.) a tratar os oficiais doentes por você...

O Fernão disse...

Aos médicos é fácil! Tratem-nos por Senhor Manel ou D. Paula como eu já fiz a uma. Acordam logo.

O J Lourenço Gonçalves disse...

Boa!

O Manel disse...

Uma médica (O.T.) chamou-me Sr. Capitão!!!!!!
Reagi de pronto , naturalmente , ao que ela me repondeu dizendo que "não sabe os postos da marinha".
Claro que lhe disse "Se não sabe , Senhora Doutora , devia saber , não acha?"
Não fui mais à consulta